Últimas notícias

F1: Apesar do pódio de Hamilton, Russell diz que é "necessário" mudar conceito do W14

Piloto britânico diz que atualizações testadas no túnel de vento prometem boas melhoras na performance

George Russell, Mercedes-AMG, retires from the race due to a fire

Sem dúvidas, a Mercedes está entre as equipes beneficiadas pelo caos no GP da Austrália, conseguindo o primeiro pódio na temporada 2023 da Fórmula 1 graças ao segundo lugar de Lewis Hamilton. Mas, mesmo com a primeira boa demonstração de performance do carro no ano, George Russell acredita que ainda seja necessário mudar o desenho do W14.

Até então, Russell vinha se mantendo mais distante desta polêmica, após Toto Wolff afirmar que a Mercedes deveria mudar racialmente o conceito do carro, e Hamilton afirmar que a equipe não havia considerado suas opiniões.

Leia também:

Mas mesmo o bom resultado de Hamilton, não apaga as necessidades da Mercedes, que segue adiante com os planos de mudar o carro. Após o abandono em Melbourne com problemas no motor, Russell foi questionado se o pódio o fazia duvidar sobre a necessidade de mexer no W14.

"Definitivamente segue sendo necessário. Os avanços que vemos neste momento no túnel nos trarão um bom rendimento, e estamos aqui para vencer. Não estamos aqui para sermos os melhores do resto, ficando a 0s5 da Red Bull".

"Nossa luta é contra a Red Bull e, pode ser que tenhamos sido mais rápidos que Ferrari e Aston Martin no fim de semana, mas ainda estamos longe de onde queremos estar".

"Estou dando o meu melhor com os engenheiros para tirar o máximo do carro, e acredito que nos últimos finais de semana o colocamos em uma posição realmente boa, indo um pouco mais longe do que as simulações apontavam".

Por outro lado, Hamilton indicou que ainda não se sente totalmente conectado ao W14, mas que faz o possível.

"Ainda me sinto incômodo no carro, não me sinto conectado a ele. Piloto da melhor forma possível com essa desconexão, e trabalho como for possível para criar essa união, mas é um projeto a longo prazo".

"Ainda assim, tendo em conta que baixamos em rendimento, onde estamos em comparação com Red Bull nas retas, estar aqui lutando contra a Aston Martin nesse ponto da temporada é incrível. Temos que seguir lutando. Muito obrigado a todos na fábrica, vamos seguir apertando, diminuindo a distância. Será difícil, mas não impossível".

GIAFFONE opina: Verstappen não quer ter amigos e lembra Alonso, RBR vai 'liberar' Pérez

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast: Treinos que valem pontos? F1 vai 'longe demais' com entretenimento?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Artigo anterior F1: Williams é processada em R$750 milhões pela ex-patrocinadora ROKiT
Próximo artigo F1: Crise na Ferrari é uma questão de reconstrução, diz ex-presidente Luca di Montezemolo
Assinar