F1: Bottas diz não sentiu "grande responsabilidade" para guiar Russell em Sakhir

Piloto finlandês também revelou que Russell não deve ter tido problemas para configurar carro devido às corridas consecutivas no Bahrein

F1: Bottas diz não sentiu "grande responsabilidade" para guiar Russell em Sakhir

Valtteri Bottas não sentiu nenhuma “grande responsabilidade” para guiar George Russell em seu primeiro final de semana de corrida com a Mercedes, acreditando que Lewis Hamilton deixou seu substituto com um bom ponto de partida.

Russell, piloto titular da Williams, foi convocado pela Mercedes para correr no GP de Sakhir depois que Hamilton testou positivo para Covid-19.

Leia também:

Russell se classificou em segundo e liderou a maior parte da corrida antes de um erro no pit stop e um furo de pneu tardio lhe negarem a vitória de estreia com a Mercedes, terminando em nono.

Embora Bottas tenha conseguido superar Russell pela pole por 0s026 na classificação, ele lutou para se manter na corrida, caindo para até oito segundos atrás em um certo momento.

Isso marcou a primeira corrida de Bottas com a Mercedes onde ele não tinha Hamilton do outro lado da garagem, já que ambos são companheiros de equipe desde o início da temporada de 2017.

Questionado pelo Motorsport.com sobre como as coisas estavam diferentes na ausência de Hamilton, Bottas disse que se sentiu diferente por não ser mais o piloto mais jovem e menos experiente.

Além de Hamilton, os únicos outros companheiros de equipe de Bottas na F1 foram Pastor Maldonado e Felipe Massa, com os quais ele correu na Williams. "Com certeza foi um sentimento diferente, nunca estive em uma equipe sendo o cara mais velho", disse Bottas.

“Mas no final, como piloto, você só quer fazer o melhor trabalho em qualquer caso para o final de semana de corrida e não importa quem seja o seu companheiro de equipe, você sempre quer vencê-lo”.

“Acho que a sexta-feira não foi ótima para mim, por motivos diferentes, assoalho quebrado no primeiro treino, um pouco de rachadura no assoalho no segundo treino, então não é realmente ideal”.

Mas Bottas explicou como ele não teve que orientar Russell muito na configuração do Mercedes W11, visto que a equipe alemã havia corrido no Bahrein na semana anterior e tinha uma boa base para trabalhar com o carro de Hamilton.

“Em termos de configuração, corremos no mesmo local da semana passada”, disse Bottas. “Aprendemos muito, então havia coisas mínimas que precisávamos mudar”.

“Acho que George também começou com a configuração de Lewis para o fim de semana, então não havia coisas enormes para fazer. Ele tem seus engenheiros, então com certeza eles sabem o que fazer com o carro”.

“Eu não sentia que havia uma grande responsabilidade, porque se havia algo que eu pudesse mudar e dar orientações, eu estava tentando fazer isso”.

“Foi muito simples”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Russell MANDA RECADO para Mercedes e Bottas: quer vaga na equipe alemã antes de 2022; entenda

PODCAST: 'Show' de Russell pode gerar problema para Mercedes?

 

compartilhar
comentários
Wolff: Mercedes fará "tudo que estiver ao alcance" para ter Hamilton em Abu Dhabi
Artigo anterior

Wolff: Mercedes fará "tudo que estiver ao alcance" para ter Hamilton em Abu Dhabi

Próximo artigo

Wolff: Mercedes "não deve se deixar levar" após destaque de Russell

Wolff: Mercedes "não deve se deixar levar" após destaque de Russell
Carregar comentários