"Talento instintivo de Hamilton supera o de Schumacher", diz Vowles, que também 'corneta' germânico por incidente com Villeneuve

James atuou com Michael no retorno do alemão à categoria pela Mercedes, após três anos do 'Kaiser' fora das competições, além do trabalho com Lewis; confira

Michael Schumacher with Sylvester Stallone

Atual chefe de equipe da Williams e ex-diretor de estratégia da Mercedes na Fórmula 1, o britânico James Vowles crê que o "talento instintivo de [Lewis] Hamilton supera o de [Michael] Schumacher". 

O engenheiro inglês trabalhou com os dois heptacampeões da F1 na Mercedes: primeiro, com o piloto alemão, que correu pelas Flechas de Prata entre 2010 e 2012; depois, com o competidor britânico, que substituiu a lenda germânica de 2013 em diante, estando no time até hoje.

O editor recomenda:

Com a marca de Stuttgart, Hamilton conquistou seis de seus sete títulos na categoria máxima do automobilismo mundial, sendo o grande nome do período de ouro da Mercedes no começo da era híbrida.

'Schumi', por sua vez, foi a 'estrela da companhia' no retorno da escuderia à elite global do esporte a motor através da aquisição da Brawn, na qual Vowles já era o chefe de estratégias, contribuindo para as taças da equipe inglesa em 2009, nos construtores e com o piloto britânico Jenson Button.

Entre 2010 e 2013, porém, o reestruturado time anglo-germânico sofreu com as novas regras da F1, com Schumi sendo superado pelo companheiro e compatriota Nico Rosberg -- este, aliás, também daria trabalho para Lewis, batendo-o na briga pelo título de 2016 após dois reveses em 2014/2015.

De qualquer forma, Vowles foi detalhista em sua comparação entre os heptacampeões durante entrevista ao podcast High Performance: "Lewis era e ainda é o piloto mais instintivo e talentoso com quem já trabalhei, incluindo Michael".

Lewis Hamilton

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Lewis Hamilton

"Sua mentalidade (de Lewis) na época [em que se juntou à Mercedes] era brilhante. Ele tinha a atitude de 'vou vencer todas as corridas a qualquer custo', mas, se conversar com ele hoje, aceita que o segundo e o terceiro lugares podem ganhar campeonatos. Trabalhar com a equipe nos dias em que não se pode vencer a prova dará mais recompensa do que afastar todos para vencer só uma corrida", seguiu James, que também 'cornetou' Schumi ao falar da 'treta' Hamilton-Rosberg.

“[Na Mercedes] queríamos vencer fazendo as coisas 'melhor que todos os outros'. Michael foi um homem incrível, mas ainda está marcado por 1997 (batida intencional em Jaques Villeneuve na decisão). Eu não gostaria de ser lembrado assim, gostaria de ser lembrado por ser dominante”, completou o engenheiro britânico, que inclusive chegou a trabalhar com o rival canadense de Schumacher na BAR (British American Racing), escuderia na qual Vowles iniciou sua carreira na F1.

James Vowles, diretor de equipe da Williams Racing, no muro dos boxes

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

James Vowles, diretor de equipe da Williams Racing, no muro dos boxes

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Sai Barcelona, entra Madri: F1 muda DNA e pode perder GPs clássicos

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Osaka detalha projeto por GP de F1 e nega querer substituir Suzuka: "Seria ótimo duas corridas no Japão"
Próximo artigo F1 anuncia data de lançamento da nova temporada de Drive to Survive, que retrata campeonato de 2023 da categoria

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil