F1: Mercedes explica como era plano ideal da largada de Hamilton e Bottas no México

James Vowles, diretor de estratégia da equipe alemã, falou sobre a manobra que determinou o resultado do último GP

F1: Mercedes explica como era plano ideal da largada de Hamilton e Bottas no México
Carregar reprodutor de áudio

A largada do GP do México de Fórmula 1 foi fundamental para definir o resultado do último domingo, com Max Verstappen ultrapassando Valtteri Bottas e Lewis Hamilton por fora na curva 1 para assumir a ponta. E a Mercedes finalmente revelou qual era o plano que tinha em mente para que o finlandês ajudasse o heptacampeão com o vácuo.

Após ficar atrás da Red Bull nos treinos livres, a Mercedes virou o jogo na classificação, garantindo a primeira fila no grid, com Bottas à frente de Hamilton. Mas foi Verstappen quem se deu melhor na largada, aproveitando o espaço deixado pelo finlandês para assumir a ponta e vencer com uma prova dominante, aumentando a vantagem no Mundial de Pilotos.

Leia também:

Depois da corrida, Hamilton disse que Bottas havia "deixado a porta aberta" para Verstappen passar por fora, enquanto o holandês disse que a manobra foi muito no limite.

Falando no vídeo pós-corrida da Mercedes, o diretor de estratégia James Vowles explicou como que a rápida chegada à curva um no México tornou importante o planejamento de uma estratégia. A equipe queria que Bottas usasse sua posição para dar um vácuo a Hamilton, protegendo-o de Verstappen.

"A estratégia e abordagem da curva um foi bem direta. Para Valtteri, se ele tivesse uma boa largada, ele daria o vácuo para Lewis atrás, garantindo que ele cobrisse uma ameaça de Verstappen. Mas Valtteri teve uma reação pior que a de Verstappen e Lewis, cerca de quatro metros. Mesmo pouco, foi suficiente para que Lewis não pudesse ficar atrás".

"Além disso, com a boa saída de Verstappen, ele ficou ao lado de Valtteri muito, muito rápido. O resultado é que os três ficaram lado a lado rapidamente antes de chegarem à curva um".

Com os carros lado a lado, Verstappen pode ocupar a melhor trajetória, por fora, deixando Bottas e Hamilton no lado mais sujo. Mas Vowles não sentia que a linha do holandês era suficiente para uma grande diferença na frenagem.

"Mesmo assim, as diferenças na frenagem deveriam ser de alguns metros, não o que vimos. No final, os pilotos frearam onde achavam que era o limite. Se você ver Verstappen após, era claro que ele arriscou esperando o melhor, o que funcionou para ele".

"Acabamos perdendo ali, como resultado disso, e ainda mais, como vocês viram outros carros travando roda, Ricciardo sendo um deles, e depois teve o contato com Valtteri, levando-o para o fundo do grid".

Lewis Hamilton, Mercedes W12, Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Lewis Hamilton, Mercedes W12, Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

Vowles disse que a Red Bull tinha "um carro muito melhor" que o da Mercedes na prova, mas sente que poderiam haver mais opções estratégicas se a equipe tivesse mantido sua vantagem com ambos os carros.

"Se tivéssemos mantido primeiro e segundo, acho que teríamos uma boa chance de nos defendermos contra as Red Bulls na corrida. E se tivéssemos apenas a ponta com as Red Bulls em segundo e terceiro, também acho que teria sido muito difícil manter a ponta. Eles poderiam parar um mais cedo e outro mais tarde".

"Onde terminamos, segundo com Lewis, foi correto com base na performance após o que infelizmente aconteceu na largada, e estou feliz com isso".

"Usamos uma estratégia defensiva a corrida toda. Claro, no caso de Valtteri ele saiu com menos do que merecia. Se não tivesse sido acertado na curva 1, poderíamos ter ficado com o quarto lugar na pior das hipóteses".

F1: CHORO, DRAMA e RIVALIDADE! Relembre as últimas cinco vezes que o GP DO BRASIL definiu CAMPEÕES

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #144:  GP no Brasil será o mais decisivo dos últimos 10 anos?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
 F1: Pérez encontrou confiança no carro da Red Bull após pausa de verão, diz Horner
Artigo anterior

F1: Pérez encontrou confiança no carro da Red Bull após pausa de verão, diz Horner

Próximo artigo

TELEMETRIA: A F1 está de volta ao Brasil! Rico Penteado analisa prova em Interlagos

TELEMETRIA: A F1 está de volta ao Brasil! Rico Penteado analisa prova em Interlagos