F1: Norris aponta detalhe que o está atrapalhando nas sessões de classificação

Piloto acredita que o estilo de direção ofensivo dele o está prejudicando quando se trata de tirar o máximo proveito do carro e dos pneus

Lando Norris, McLaren MCL38

Mark Horsburgh

Com a McLaren em uma batalha apertada atrás da Red Bull com Ferrari, Mercedes e Aston Martin, as posições no grid se tornaram cada vez mais críticas para decidir o resultado no dia da corrida. Lando Norris confessou que a classificação é a única área de um fim de semana de corrida com a qual ele não está satisfeito. Ele acredita que precisa mudar a abordagem se quiser ajudar a McLaren a atingir suas metas em 2024 na Fórmula 1.

Depois de sentir que estava no topo com a geração anterior de carros, ele avalia que as novas máquinas de efeito solo e os pneus maiores resultaram em um início de temporada que não foi ideal para oferecer todo o potencial na classificação.

Leia também:

Em particular, ele diz que, enquanto antes ele podia entrar em modo de ataque total para extrair o máximo de desempenho em uma única volta, ser tão ousado agora não tem o mesmo resultado.

Falando antes do GP do Japão sobre os problemas que está enfrentando, Norris disse: "Nos treinos classificatórios, eu sempre quis forçar um pouco mais em determinadas áreas e queria sair e atacar. E eu tenho que fazer exatamente o oposto. É difícil entender isso, porque eu quero sair e encontrar outro nível na classificação, mas não dá para fazer isso com esses pneus e com o nosso carro. Você quase tem que dirigi-lo na direção oposta."

"Então, há algo, quase que por estar acostumado com os carros de alguns anos atrás, que está me castigando agora e não estou me adaptando rápido o suficiente. Mas isso é algo que depende de mim. Esse é o meu trabalho, adaptar-me e fazer um trabalho melhor, mas também, como o nosso carro é, como você tem que dirigi-lo, ele continua sendo um carro bastante complicado de pilotar."

"Não é fácil fazer uma volta de classificação perfeita todas as vezes. Mas é algo em que estamos trabalhando.", revelou.

Norris explicou que os problemas agora estão mais relacionados à sensação de que ele precisa extrair mais do carro para entender melhor exatamente onde está o limite - o que não é fácil pelo fato de que muito vem do instinto.

"Se você me perguntar agora, , como faço para dirigir em uma curva de baixa velocidade, não tenho a menor ideia. Não faço. Em um dia é assim; no dia seguinte é assim. Tenho dificuldade apenas com a confiança de saber exatamente como melhorar em todos os casos."

"Quando dá certo, dá certo, e consigo fazer uma boa classificação. Mas, sim, perdi um pouco daquela sensação, nos últimos anos, de sair para a classificação, atacar e dar as voltas que quero dar. É difícil não me esforçar e não atacar quando você é competitivo e quer fazer uma volta melhor."

No ano passado, o chefe da McLaren, Andrea Stella, sugeriu que muitos dos problemas de classificação de Norris poderiam ser resolvidos com uma mudança de mentalidade, não atacando 100% o tempo todo.

Mas Norris acha que as coisas não são tão simples assim, pois circunstâncias diferentes exigem abordagens diferentes.

"É como se eu não conseguisse pilotar a 100%", disse ele. "100% funciona em uma volta em cada 10. Então, quando você quer entrar no Q3 e fazer sua melhor volta, pode ser que em uma volta você tenha que dirigir a 98% de repente. É uma coisa complicada e difícil de estar no limite."

"Dependendo da intensidade do vento e dos pneus estarem um pouco mais quentes ou mais frios, isso muda o quanto você pode forçar em cada curva. Portanto, é preciso pensar nessas coisas. Por exemplo, 'ok, os ventos mudaram um pouco, isso significa que tenho que frear um metro antes e você tem que fazer isso'. E não é fácil estar sempre atento a isso.", explicou.

"É algo em que estou trabalhando, algo que melhorei um pouco nas últimas semanas. O último fim de semana [na Austrália] foi um pouco mais uma indicação, a primeira indicação de que, quando der certo, é isso que podemos fazer."

Norris dedicou algum tempo nas últimas sessões de simulador para resolver os problemas de classificação, mas diz que o ambiente da fábrica não é ideal para oferecer uma repetição das pressões emocionais que estão presentes na classificação da vida real.

"É difícil, porque nem sempre é a melhor correlação", acrescentou Norris. "Há certas técnicas e habilidades para tentar dirigir com tranquilidade. Esse é o tipo de coisa que você pode fazer no simulador. Mas recriar a emoção exata de quando você está no carro e vai fazer uma volta de classificação não é fácil no simulador."

No final das contas, Norris diz que provavelmente não existe uma solução mágica para sua situação.

"Um pouco disso é tentativa e erro, de apenas tentar tornar isso uma normalidade", disse ele. "O problema é que quando piloto, piloto tão subconscientemente que quanto menos penso em pilotar, melhor piloto.

"Se eu simplesmente sair e estiver observando as arquibancadas, normalmente é quando estou fazendo um trabalho melhor. Então, quando você tem que tentar mudar seu subconsciente e tentar relaxar, não é fácil mudar isso. Isso é algo que se desenvolve com o passar dos anos. E não é fácil simplesmente reverter."

"Provavelmente, isso se afastou de mim no último ano e pouco: com o regulamento mais antigo, era mais fácil dirigir e encontrar o limite.Todo dia é um novo dia, sempre há novos desafios e novos problemas. Mas isso faz parte do processo; é a mesma coisa para todo mundo. Só acho que, às vezes, o nosso carro tem sido complicado. Mas meu trabalho como piloto é fazer o melhor que posso para me adaptar a isso também", finalizou.

SAINZ tem 'medo' de VERSTAPPEN na RBR e deve ir a outra equipe, diz jornalista | Que será de Carlos?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Pódio Cast #4 debate compra da MotoGP / Dorna Sports pela Liberty Media

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior VÍDEO F1: Russell relata encontro com Alonso em café após polêmica no GP da Austrália
Próximo artigo F1: Após punição de Alonso, Pérez teme inconsistência nas punições das próximas corridas

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil