F1: Red Bull descarta vender naming rights de motores em 2022

Christian Horner declarou que novos motores “será um Red Bull”

F1: Red Bull descarta vender naming rights de motores em 2022

A Red Bull revelou que seus futuros motores de Fórmula 1 levarão o apelido da empresa de bebidas energéticas, uma vez que descartou a venda de naming rights.

A equipe de austríaca entrou em um acordo para assumir o projeto do motor Honda para o próximo ano como parte de uma mudança que levou à criação do Red Bull Powertrains.

Leia também:

Embora a escuderia tenha mudado os motores no passado esse plano foi descartado desta vez.

Falando sobre o futuro nome dos motores Honda, o chefe da equipe Christian Horner disse: "Será um motor Red Bull. Assim será, como a Mercedes é uma Mercedes, será uma parte incorporada do carro. Portanto, será um Red Bull."

Questionado sobre se a marca estava procurando um parceiro ou fabricante potencial para ajudar em seu projeto, Horner disse: "Acho que não ficaremos impedidos de ter um parceiro, então temos independência para fazer isso nós mesmo.”

"Se aparecer um parceiro empolgante, é claro que faria sentido analisá-lo muito seriamente, seja uma montadora ou outro tipo de parceiro, um fabricante de baterias ou qualquer outro. Na verdade, depende de quais são os motores."

Horner explicou que a Red Bull havia agora começado uma campanha de recrutamento para aumentar suas instalações em Milton Keynes enquanto procurava criar a estrutura certa em torno de seu plano.

"Obviamente, herdaremos a grande maioria do departamento de motores da Honda, que é o lado operacional da Honda, com sede em Milton Keynes", explicou. "Isso nos dá um ponto de partida, em que todas as pessoas que conhecemos e com as quais nos relacionamos, procuraremos assumir a nova empresa.”

"Então, estamos no processo de definir algumas das outras funções que serão preenchidas nas próximas semanas e meses. Mas acho que o acordo que alcançamos com a Honda nos dá tempo para reunir o grupo certo de pessoas”, disse.

Embora a Red Bull esteja agora à procura de um candidato para chefiar sua divisão de motores, o chefe da equipe descartou qualquer conversa inicial de que poderia rondar o ex-chefe da Mercedes, Andy Cowell.

Questionado se Cowell poderia fazer parte do projeto, Horner disse: "O que ele alcançou nos últimos 10 anos no esporte obviamente foi extremamente impressionante. Ele foi um pilar do que a Mercedes e a HPP ofereceram.”

"Eu acho que ele escolheu buscar outras atividades fora da F1. Mas é claro, no que diz respeito aos motores, ele tem sido o cara que tem entregado ano após ano. Mas meu entendimento é que seus interesses atualmente estão fora da F1. "

Como fabricante oficial de motores, Horner também confirmou que a Red Bull seria obrigada a fornecer motores para outra empresa fora de sua família atual, se exigido pelos regulamentos.

"Ao assumir as obrigações de um fabricante de motores, você está sujeito aos regulamentos de obrigação de fornecimento, de modo que não seria diferente para qualquer outro fabricante”, concluiu.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1 na BAND - BARRICHELLO e cia: quem são os NOMES sondados para completar a equipe de transmissão

Podcast #088 - F1 na Band e o 'fico' de Hamilton: o que esperar de 2021?

 

 

compartilhar
comentários
Alonso recebe alta do hospital após acidente e inicia recuperação

Artigo anterior

Alonso recebe alta do hospital após acidente e inicia recuperação

Próximo artigo

F1 deve lidar com diferença de performances entre motores apesar de congelamento em 2022

F1 deve lidar com diferença de performances entre motores apesar de congelamento em 2022
Carregar comentários