Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

F1: Veja o design da Red Bull que evitou um protesto de asa flexível em Baku

Escuderia austríaca optou por correr no GP do Azerbaijão com uma nova asa provisória

F1: Veja o design da Red Bull que evitou um protesto de asa flexível em Baku

A Fórmula 1 chegou ao GP do Azerbaijão se preparando para um confronto sobre as asas flexíveis, mas o design da asa traseira da Red Bull em Baku conseguiu evitar polêmica.

Com os novos testes rígidos da FIA entrando em vigor para o GP da França, a corrida em Baku foi a última chance para as equipes utilizarem suas asas traseiras mais flexíveis.

Leia também:

Essa perspectiva irritou times como Mercedes e McLaren, e permaneceu a ameaça de um protesto se as escuderias fossem longe demais com o design no GP do Azerbaijão.

Enquanto a Red Bull havia sido o centro das atenções após o GP da Espanha com suas asas flexíveis, ela optou por correr em Baku com uma nova asa provisória que agia de uma maneira muito mais normal e ajudava a evitar qualquer controvérsia.

Este projeto da escuderia austríaca apresenta um plano principal com uma seção central mais profunda para criar o downforce necessário, enquanto os canais externos são mais rasos, a fim de que o vórtice resultante criado pela colisão do fluxo de ar com a placa final seja diminuído.

Para alimentar isso, a Red Bull também fez alterações no design da placa final, voltando a um formato mais simples para que fosse menos agressivo ao fluxo de ar.

O recorte escalonado no canto superior deu lugar a um design mais convencional, enquanto as barras upwash e os strakes suspensos também foram removidos e simplificados (veja a inserção de Mônaco para o design usual de 2021).

Você pode notar que a asa mostrada na ilustração também tem uma seção cortada na borda posterior da aba superior.

No entanto, embora essa versão tenha feito uma aparição, ela não encontrou seu caminho para o carro em uma sessão competitiva em Baku, mas provavelmente retornará no GP da Bélgica.

A equipe optou por correr sem um flap Gurney na borda posterior da asa, sacrificando algum equilíbrio para a velocidade em linha reta (consulte Spa 2020 para comparação com um Gurney acoplado).

Táticas dos pilotos

É sempre fascinante ver como os companheiros de equipe respondem aos desafios prevalecentes também, com cada piloto fazendo ajustes e mudanças aerodinâmicas que atendem às suas próprias necessidades.

No caso de Sergio Pérez e Max Verstappen, havia uma diferença quase imperceptível entre as asas traseiras, já que o holandês optou por uma pequena redução da borda da asa para diminuir ainda mais o arrasto.

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W12 rear wing, Azerbaijan Grand Prix
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W12 rear wing, Azerbaijan Grand Prix

A Mercedes também optou por diferentes configurações de asa traseira em seus carros em Baku.

Depois de verificar os dados das sessões de treinos livres de sexta-feira, onde o time lutou para ganhar ritmo, Lewis Hamilton optou pelo arranjo de menos downforce, com apenas um único pilar de suporte conectado ao DRS. Do outro lado da garagem, o W12 de Valtteri Bottas foi equipado com o arranjo de dois pilares de downforce mais alto.

A escuderia alemã optou por diferentes soluções ainda recentemente como no GP de Portugal, na tentativa de aumentar suas chances de bater a Red Bull.

O design claramente deu a Hamilton o impulso necessário em linha reta, mas, por outro lado, o colocaria em desvantagem para Bottas no segundo setor.

No entanto, o finlandês continuou lutando com seu W12, descobrindo que o carro não respondia no que tange à geração da temperatura ideal para os pneus.

Ferrari SF21 rear wing FP1, Azerbaijan Grand Prix
Ferrari SF21 rear wing qualification and race, Azerbaijan Grand Prix

A batalha das especificações da asa traseira também estava acontecendo na Ferrari, que começou seu fim de semana com uma asa de downforce médio, antes de mudar para o design de plano principal mais tradicional para o TL3, classificação e corrida.

A mudança da Scuderia permitiu que Charles Leclerc garantisse outra pole position, mas o monegasco perdeu posições no dia da corrida quando o pacote voltou a um padrão mais familiar.

Ao contrário do Red Bull, a alteração para um arranjo de menos downforce não resultou na exclusão do recorte traseiro superior serrilhado, nas barras upwash ou em quaisquer alterações nos strakes.

Aston Martin Racing AMR21 new halo fins

Aston Martin Racing AMR21 new halo fins

Photo by: Giorgio Piola

A Aston Martin fez algumas pequenas mudanças para o GP do Azerbaijão, que mais uma vez chegaram ao carro de Lance Stroll antes de chegar ao monoposto de Vettel.

Essas mudanças dizem respeito à área ao redor do cockpit, com a carenagem em forma de bumerangue do halo substituído por um par de aletas em cada lado da estrutura de segurança que buscam posicionar o fluxo de ar de forma mais eficaz.

Enquanto isso, de forma semelhante ao que já vimos na Mercedes, os suportes dos retrovisores laterais tinham um acabamento serrilhado adicionado à sua superfície para criar uma série de vórtices menores.

Williams FW43B bargeboard detail

Williams FW43B bargeboard detail

Photo by: Giorgio Piola

Williams introduziu um novo conjunto de bargeboard no Azerbaijão. Mas com peças suficientes apenas para fornecer a atualização a um piloto, foi o FW43B de George Russell que os carregou durante o fim de semana.

A principal mudança de design é uma reminiscência do que foi feito pela McLaren no final da temporada passada, com duas asas em forma de C enquadrando o elemento principal vertical do bargeboard e o bumerangue superior.

F1 2021: TRETA! Verstappen DESAFIA Hamilton e diz que seria mais RÁPÍDO que inglês com Mercedes

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: TELEMETRIA: O quebra-cabeças na desafiadora Baku com Rico Penteado

 

compartilhar
comentários
F1: Novo contrato de Hamilton deve ter menor salário e o dobro de bônus em caso de título

Artigo anterior

F1: Novo contrato de Hamilton deve ter menor salário e o dobro de bônus em caso de título

Próximo artigo

F1: Mercedes afirma ter teoria "muito promissora" para explicar problemas recentes

F1: Mercedes afirma ter teoria "muito promissora" para explicar problemas recentes
Carregar comentários