F1 - Russell: Ferrari virá "com fome" em 2022 após dois anos difíceis

Piloto britânico acredita que cinco das dez equipes terão capacidade de fazer "algo especial" em 2022

F1 - Russell: Ferrari virá "com fome" em 2022 após dois anos difíceis
Carregar reprodutor de áudio

Após três anos com a Williams, George Russell finalmente está a caminho da Mercedes na Fórmula 1. E mesmo com boa parte do grid apontando que a equipe alemã e a Red Bull devem seguir à frente nesta temporada, o britânico vê outro time que todos devem ficar de olho, a Ferrari, que deve vir "com fome" após dois anos de sofrimento.

Russell já mostrou nos últimos anos que é excelente nas classificações, botando a Williams diversas vezes no Q3 e, na única oportunidade que teve com a Mercedes (GP de Sakhir 2020), largou em segundo e chegou próximo da vitória, antes da confusão nos boxes e um furo de pneu.

Leia também:

Após fazer os testes de pós-temporada com a Mercedes, Russell falou sobre o campeonato de 2022, que começa em março no Bahrein, e indicou que Ferrari e McLaren são duas rivais que não devem ser subestimadas, já que estão ansiosas pela redenção.

"Uma equipe como a Ferrari, que teve dois anos difíceis, está com fome. Graças à mudança no regulamento, tenho certeza de que eles estarão de volta à luta e acredito que o mesmo acontecerá com a McLaren".

"São equipes que têm tudo para lutar pelo sucesso: infraestrutura, engenheiros talentosos e pilotos realmente fortes".

George Russell, Mercedes W10

George Russell, Mercedes W10

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Segundo o britânico, além de mais um capítulo da rivalidade entre Mercedes e Red Bull, pelo menos outras três equipes devem ser capazes de lutar por vitórias. Mas, para Russell, a chave da temporada dependerá do quão bem as equipes conseguirão desenvolver seus carros em um ano em que a mudança no regulamento e o teto orçamentário podem realmente fazer a diferença.

"Acredito que haverá cinco equipes com capacidade de fazer algo especial no próximo ano. Devemos ter cuidado e não subestimar ninguém. A chave do sucesso será a capacidade de desenvolver o carro";

"Não se trata de ter o carro mais rápido nos testes ou no primeiro GP. Tudo dependerá de quem será capaz de compreender melhor o carro, desenvolvendo-o ao longo da temporada a partir de base sólida".

"Acho que todas as equipes terão grandes progressos entre a primeira e a última corrida do ano".

MARI BECKER fala de PRAZER, REALIZAÇÃO e SUCESSO com F1 NA BAND: "Apresentei o esporte DE VERDADE"

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #155 - Piores da F1 2021: Quais pilotos/equipes decepcionaram? Masi é consenso?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Alonso: É um "luxo" sair e voltar à F1 nos meus próprios termos
Artigo anterior

Alonso: É um "luxo" sair e voltar à F1 nos meus próprios termos

Próximo artigo

F1 - Brown sobre Hamilton x Verstappen: "Não me lembro de algo tão tóxico desde Senna e Prost"

F1 - Brown sobre Hamilton x Verstappen: "Não me lembro de algo tão tóxico desde Senna e Prost"