Fórmula 1
R
GP de 70º aniversário
07 ago
Próximo evento em
06 Horas
:
13 Minutos
:
44 Segundos
04 set
Próximo evento em
28 dias
R
GP da Toscana
11 set
Próximo evento em
35 dias
R
GP de Singapura
17 set
Canceled
R
GP da Rússia
25 set
Próximo evento em
49 dias
R
GP do Japão
08 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
23 out
Canceled
R
GP do México
30 out
Canceled
R
GP do Brasil
13 nov
Canceled
R
GP de Abu Dhabi
27 nov
Próximo evento em
112 dias

Alonso admite arrependimento ao ter falado "motor de GP2" para Honda em 2015

compartilhar
comentários
Alonso admite arrependimento ao ter falado "motor de GP2" para Honda em 2015
Por:
1 de fev de 2020 12:07

Fernando Alonso admite que talvez tenha errado em chamar a unidade de potência da Honda de 2015 "Motor de GP2", mas afirma que a situação deixaria qualquer piloto extremamente frustrado

A segunda passagem de Fernando Alonso pela McLaren na Fórmula 1 não foi das mais tranquilas. Alonso teve muitos problemas com o carro e, principalmente, com a unidade de potência fornecida pela Honda. Nos três anos em que correu com a dupla McLaren-Honda, teve um mediano (2016) e dois ruins (2015 e 2017). A temporada de 2015 ficou marcada por um comentário do espanhol no GP do Japão, em Suzuka, casa da Honda, onde falou que o motor de sua McLaren era "vergonhoso" e "um motor de GP2".

"Parece um GP2. É vergonhoso. Muito vergonhoso", falou Alonso no rádio para o engenheiro na ocasião, enquanto era ultrapassado pela Sauber de Marcus Ericsson. 2015 era o primeiro ano do retorno da Honda à F1 e a empresa sofreu com diferentes tipos de problemas ao longo do ano, enquanto forneciam motores apenas para a McLaren.

Leia também:

"Veio de um lugar de frustração e talvez eu não deveria ter dito isso, mas eu não falei isso nas entrevistas para televisão ou na coletiva de imprensa", defendeu Alonso em entrevista à revista F1 Racing sobre essa mensagem. "Eu estava falando com meu engenheiro em uma conversa privada [mas que acabou sendo transmitida]. Não era para ser público. Mas o motor era muito ruim".

O relacionamento da Honda com a McLaren chegou ao fim em 2017, quando a equipe decidiu trocar a empresa japonesa pelos motores Renault, após terminar, respectivamente, em nono, sexto e nono nos construtores nos três anos da parceria. A Honda passou a fornecer motores para a Toro Rosso em 2018 antes de fechar um acordo com a Red Bull em 2019, chegando a conseguir três vitórias com Max Verstappen.

Enquanto alguns ainda criticam Alonso pelos comentários de 2015, já que a Honda voltou a vencer corridas, o bicampeão defende que qualquer piloto em sua situação teria feito o mesmo tipo de comentário sobre o motor. E ele insiste que está "muito feliz" em ver a Honda vencendo novamente.

"No primeiro ano [2015] em Jerez [nos testes de pré-temporada], nós fizemos sete voltas em quatro dias, adicionou Alonso. "Agora a Honda vence uma corrida e eu recebo várias mensagens falando: "O motor de GP2 está vencendo agora, deve ser um dia triste para você".

"Eu estou muito feliz, mas o motor que eu tinha no meu carro não é o mesmo que ganhou no Brasil. Se um piloto de ponta passar pelo que eu passei, eu não consigo imaginar o que ele diria. Em 2015 eu estava sempre lutando para passar do Q1 e tinha 575 posições de penalização para cumprir", concluiu.

GALERIA: Relembre como foi o 2019 de Alonso no automobilismo

Galeria
Lista

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)
1/40

Foto de: Art Fleischmann

O time do Cadillac #10, formado por Renger Van Der Zande, Jordan Taylor, Fernando Alonso e Kamui Kobayashi, se classificou na sexta posição para o grid de largada.

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)
2/40

Foto de: Richard Dole / Motorsport Images

Em seu primeiro turno de pilotagem, Alonso assumiu o carro na quinta posição e superou um a um os adversários para assumir a liderança e ainda abrir 21s de vantagem para o Konica Minolta Cadillac #10

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)
3/40

Foto de: Richard Dole / Motorsport Images

Sob forte chuva, o espanhol acelerou para retomar a liderança da prova em seu segundo turno ao volante do Cadillac #10. Ele ainda abriu 55s de vantagem para o segundo colocado.

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)
4/40

Foto de: Art Fleischmann

Em seu terceiro e último turno, Alonso assumiu o volante na segunda posição e se aproveitou de um erro de Felipe Nasr para retomar a ponta e cruzar a bandeirada em primeiro.

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)

Vitória nas 24H de Daytona (IMSA)
5/40

Foto de: Richard Dole / Motorsport Images

Foi a primeira vitória do Príncipe das Astúrias em Daytona. Em 2018 ele havia abandonado a corrida com problemas mecânicos depois de largar na 13ª posição.

Testes com McLaren no Bahrein

Testes com McLaren no Bahrein
6/40

Foto de: Jerry Andre / Motorsport Images

Em fevereiro a McLaren anunciou que o espanhol assumiria um cargo de embaixador da marca e que testaria o carro de 2019 em algum momento da temporada

Testes com McLaren no Bahrein

Testes com McLaren no Bahrein
7/40

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Em abril, Alonso assumiu o volante do carro da equipe de Woking e apoiou o time nos testes de pneus da Pirelli

Testes com McLaren no Bahrein

Testes com McLaren no Bahrein
8/40

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

O espanhol deu 64 voltas no primeiro dia de treinos e mais 69 no segundo, acumulando quilometragem e ajudando a equipe a compreender melhor a próxima geração de pneus da marca italiana.

Testes com McLaren no Bahrein

Testes com McLaren no Bahrein
9/40

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Como o objetivo da equipe avaliar os novos compostos, os tempos de volta foram considerados pouco relevantes.

Testes com McLaren no Bahrein

Testes com McLaren no Bahrein
10/40

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Depois da experiência, o espanhol afirmou que se considerava o melhor piloto do mundo.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 1000 milhas de Sebring

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 1000 milhas de Sebring
11/40

Foto de: Alexander Trienitz

Em 2018 os pilotos do carro #8 da Toyota, Fernando Alonso, Kazuki Nakajima e Sebastien Buemi já haviam conquistado vitórias em Spa e Le Mans, além de dois segundos lugares, no Japão e na China. Em Sebring, largaram na pole.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 1000 milhas de Sebring

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 1000 milhas de Sebring
12/40

Foto de: Alexander Trienitz

E os pilotos do carro #8 não deram margem aos rivais e venceram a corrida em Sebring, em março.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 6H de Spa

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 6H de Spa
13/40

Foto de: JEP / Motorsport Images

Na corrida seguinte, o trio de Alonso, Buemi e Nakagima voltou a vencer, desta vez nas 6 Horas de Spa.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 6H de Spa

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 6H de Spa
14/40

Foto de: Paul Foster

Foi a segunda vitória consecutiva de Alonso e seus companheiros no circuito Belga.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 6H de Spa

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 6H de Spa
15/40

Foto de: JEP / Motorsport Images

Poucos dias antes da vitória, Alonso e Toyota confirmaram que o piloto deixaria a equipe após o término da temporada.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans
16/40

Foto de: JEP / Motorsport Images

Alonso e seus companheiros chegaram à etapa final do campeonato, em Le Mans, com situação confortável na briga pelo título.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans
17/40

Foto de: Marc Fleury

Por já ter vencido a prova em 2018, Alonso afirmou que a prioridade seria garantir o título ao invés de brigar pela vitória.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans
18/40

Foto de: Jose Mario Dias

Depois de partir da segunda posição, o trio formado por Alonso, Buemi e Nakajima conseguiu superar os rivais da Toyota nas últimas horas da prova para garantir a segunda vitória consecutiva na lendária prova.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans
19/40

Foto de: Jose Mario Dias

Com a segunda vitória em La Sarhte, o espanhol se tornou o primeiro piloto na história a vencer duas vezes em Mônaco e em Le mans, superando Tazio Nuvolari, Bruce McLaren e Jochen Rindt e Maurice Trintignant.

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans

Campeão mundial do WEC - Vitória nas 24H de Le Mans
20/40

Foto de: Jose Mario Dias

Com duas vitórias em cada uma das provas lendárias da Eurpa, Alonso precisa 'apenas' de uma vitória na Indy500 para se tornar o segundo piloto na história a conquistar a tríplice coroa, feito alcançado apenas por Graham Hill entre 1963 e 1972.

Indy500 - Segunda tentativa frustrada

Indy500 - Segunda tentativa frustrada
21/40

Foto de: Phillip Abbott / Motorsport Images

Em 2017, Fernando Alonso chegou a liderar as 500 milhas de Indianápolis, mas su motor Honda falhou e ele abandonou a prova. Mesmo assim, ele foi premiado como melhor novato da corrida.

Indy500 - Segunda tentativa frustrada

Indy500 - Segunda tentativa frustrada
22/40

Foto de: Geoffrey M. Miller / Motorsport Images

Em sua segunda tentativa, a McLaren fez uma parceria com a Carlin e construiu um carro exclusivamente para que Alonso competisse na prova.

Indy500 - Segunda tentativa frustrada

Indy500 - Segunda tentativa frustrada
23/40

Foto de: McLaren

No entanto, após um acidente nos treinos livres em Indianápolis, a equipe teve problemas de logística e não conseguiu entregar um novo volante a tempo para o espanhol e acumulou diversos problemas.

Indy500 - Segunda tentativa frustrada

Indy500 - Segunda tentativa frustrada
24/40

Foto de: Geoffrey M. Miller / Motorsport Images

Somando-se às falhas da McLaren, Alonso não foi rápido o suficiente para se classificar entre os 30 melhores que garantiram acesso direto à corrida e precisou disputar uma espécie de repescagem, na qual também saiu derrotado, o que resultou na não participação do espanhol na corrida.

Indy500 - Segunda tentativa frustrada

Indy500 - Segunda tentativa frustrada
25/40

Foto de: Michael L. Levitt LAT Photo USA

Após o fracasso de piloto e equipe, Gil de Ferran, diretor esportivo da McLaren, pediu desculpas ao espanhol pelas trapalhadas da equipe em Indianápolis.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
26/40

Foto de: Toyota Racing

Mas 2019 não se resumiu à corridas no asfalto. Alonso começou em março uma série de testes com a Toyota, de olho em uma participação no Rally Dakar de 2020.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
27/40

Foto de: Toyota Racing

A primeira experiência do espanhol foi na África do Sul, onde começou sua preparação.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
28/40

Foto de: Toyota Racing

Após a primeira experiência, Alonso disse ter gostado de pilotar um carro de rali.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
29/40

Foto de: Toyota Racing

Apoiado pela fabricante japonesa, Alonso afirmou que todas as experiências fora da F1 eram mais do que apenas diversão.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
30/40

Foto de: Toyota Racing

Depois das primeiras impressões positivas de Alonso, a Toyota elaborou um plano de testes e competições para o espanhol se preparar para Dakar.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
31/40

Foto de: Toyota Racing

Um momento de grande 'tensão' para o espanhol foi sua experiência com as dunas do Namíbia, onde disse ter ficado chocado com o tamanho do desafio.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
32/40

Foto de: Toyota Racing

Depois da experiência no Namíbia, o espanhol participou de sua primeira prova, a Lichtenberg 400, na África do Sul, onde completou a prova, mas não foi classificado por ter perdido muito tempo após capotar e danificar seu para-brisa.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
33/40

Foto de: Toyota

Em Lichtenberg, Alonso formou dupla com Marc Coma, pentacampeão do Dakar como piloto de motos. Espanhol, Coma será co-piloto do asturiano.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
34/40

Foto de: Toyota

Em seguida, a dupla Alonso-Coma participou do Rally do Marrocos. No primeiro dia, o Toyota dos espanhóis sofreu com furos nos pneus e ficou para trás. Na sequência, entraram no top-10, mas o terceiro dia foi o pior, com a dupla precisando abandonar.

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio

Preparação para o Dakar: Testes, competições e primeiro pódio
35/40

Foto de: Toyota Racing

No último evento de preparação antes do Dakar, na Arábia Saudita, Alonso e Comas chegaram ao pódio pela primeira vez, comum terceiro lugar no rally Al Ula-Neom. A evolução do espanhol surpreendeu o experiente time da Toyota, que ficou empolgada para a lendária prova.

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000
36/40

Foto de: Toyota Racing

Dias depois de chegar em terceiro na Arábia Saudita, Alonso participou de evento promocional da Toyota na Argentina, onde a marca japonesa oficializou sua participação na Stock Car 2020.

Fernando Alonso, Matias Rossi, Toyota Corolla Súper TC2000

Fernando Alonso, Matias Rossi, Toyota Corolla Súper TC2000
37/40

Foto de: Toyota Racing

Alonso guiou o carro da Toyota do Super TC 2000, competição argentina similar à Stock Car. Uma das celebridades a dar voltas ao lado do espanhol, foi Matías Rossi, astro da categoria que estará na Stock Car em 2020.

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000
38/40

Foto de: Toyota Racing

Alonso deu várias voltas com o carro da Toyota no circuito argentino e impressionou por sua velocidade com o carro que havia acabado de conhecer.

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000
39/40

Foto de: Toyota Racing

Em entrevista ao Motorsport.com, Alonso disse que não descarta participar de corridas da Stock Car no futuro, apontando conhecer a categoria através de Rubens Barrichello e Nelsinho Piquet.

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000

Fernando Alonso, Toyota Corolla Súper TC2000
40/40

Foto de: Federico Faturos

Na esteira da declaração de Alonso, o chefe da Stock Car, Carlos Col, afirmou que a categoria tem interesse em trazer o espanhol para a corrida de duplas, que voltará a fazer parte do calendário da categoria em 2020.

Mallya "feliz" com acordo entre Stroll e Aston Martin

Artigo anterior

Mallya "feliz" com acordo entre Stroll e Aston Martin

Próximo artigo

Racing Point quer voltar a ser a ‘melhor do resto’ em 2020

Racing Point quer voltar a ser a ‘melhor do resto’ em 2020
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Fernando Alonso Compre Agora
Equipes McLaren Compre Agora
Autor Pablo Elizalde