Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: Red Bull evolui chassi e avança com motor Honda

Arquivo de Giorgio Piola da temporada 2019 permite mergulho nos detalhes que melhoraram carro da equipe austríaca

Análise técnica: Red Bull evolui chassi e avança com motor Honda
Carregar reprodutor de áudio

O primeiro ano da parceria entre Red Bull e Honda na Fórmula 1 rendeu três vitórias para a dupla de empresas. Max Verstappen venceu os GPs da Áustria, Alemanha e Brasil, além de ainda alcançar duas poles, na em Hungaroring e em Interlagos. Enquanto isso, Daniil Kvyat e Pierre Gasly conquistaram dois pódios pela Toro Rosso, que disputou seu segundo ano com os motores japoneses.

Leia também:

O trabalho entre Red Bull e Honda opera em ambiente de grande harmonia, diferentemente do que aconteceu nos últimos anos durante a parceria com a Renault, que nunca entregou um motor realmente competitivo à equipe desde a introdução dos motores híbridos na F1, em 2014.

Além dos avanços do motor, a equipe de aerodinâmica da Red Bull, sob a supervisão de Adrian Newey, encontrou diversas formas de evoluir e tirar o máximo desempenho do chassi do time austríaco. É nesse ponto que se detém a análise técnica do especialista do Motorsport.com, Giorgio Piola. Confira:

Quer ver Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e Superbike de graça? Inscreva-se no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui.

Direcionadores de fluxo de ar
Direcionadores de fluxo de ar
1/15
A Red Bull estava procurando um impacto imediato com o RB15 impulsionado pela Honda, e iniciou sua temporada com um desenvolvimento rápido. Essa primeira alteração na região dos direcionadores de ar e dos defletores teve slots adicionados ao elemento mais à frente e na porção inferior , destacadas na imagem.

Foto de: Giorgio Piola

Asa dianteira, GP da China
Asa dianteira, GP da China
2/15
A Red Bull optou por se posicionar firmemente no que diz respeito ao design da asa dianteira, optando por uma configuração de amplitude total que vê as abas estendidas ao máximo na junção com a placa final.

Foto de: Giorgio Piola

detalhe do bico do carro
detalhe do bico do carro
3/15
Tendo utilizado uma solução de ponta vazada há algum tempo, a equipe optou por misturar as coisas para Mônaco e fechou o bico do carro. Isso provavelmente reduziu o peso do chassi, tornando-o um pouco mais ágil, além de alterar a resposta aerodinâmica das seções neutras da asa dianteira em baixas velocidades.

Foto de: Giorgio Piola

Novas barbatanas
Novas barbatanas
4/15
A Red Bull sempre estuda alternativas para ver quais soluções podem funcionar e, no Canadá, decidiu se juntar a um grupo cada vez maior de equipes que usam barbatanas na zona de transição no nariz. Ao contrário dos apêndices simplistas em forma de L vistos em outros carros, a Red Bull introduziu um conjunto de barbatanas sinuosas e complexas para maximizar seu efeito no fluxo de ar circundante.

Foto de: Giorgio Piola

Espelhos retrovisores
Espelhos retrovisores
5/15
Os espelhos retrovisores e suas montagens se tornaram um playground de design nos últimos anos e, enquanto a FIA tentou colocar 'ordem na casa' com seu novo pacote de regras, os designers ainda encontraram maneiras de contorná-los, talvez nada mais do que o que a Red Bull fez.

Foto de: Giorgio Piola

Asa dianteira, GP da Áustria
Asa dianteira, GP da Áustria
6/15
A equipe fez uma pequena alteração na asa dianteira do GP da Áustria, alterando a conexão das abas superiores com a placa final, a fim de suavizar o vórtice que é gerado.

Foto de: Giorgio Piola

Barbatanas laterais
Barbatanas laterais
7/15
Ao longo das extremidades do piso, a equipe adicionou essas aletas em ângulo para melhorar o fluxo de ar que passava pelas fendas próximas e através delas.

Foto de: Giorgio Piola

Refrigeração
Refrigeração
8/15
A saída superior da tampa do motor é uma solução que vimos na Mercedes do passado e pareceu em um estágio que a Red Bull seguiria. No entanto, depois de testá-la em várias ocasiões, a equipe nunca correu com ela, talvez usando-a para aliviar o estresse da unidade de potência em trechos mais quentes e em sessões que não são competitivas.

Foto de: Giorgio Piola

Comparação da asa traseira
Comparação da asa traseira
9/15
Você precisa amar a asa traseira baixa da Red Bull - ambas as soluções usadas em Spa e Monza são particularmente agressivas, com o menor ângulo possível possível para reduzir o arrasto nas retas longas que são uma característica dos dois circuitos.

Foto de: Giorgio Piola

Comparação dos direcionadores de ar
Comparação dos direcionadores de ar
10/15
A Red Bull fez pequenos ajustes no RB15 para o GP da Rússia, que incluiu essa alteração na entrada do direcionador de ar (bargeboard).

Foto de: Giorgio Piola

Suspensão dianteira
Suspensão dianteira
11/15
Um olhar no interior do RB15 e, mais especificamente, o arranjo da suspensão dianteira, completo com o amortecedor de molas de bellville, uma solução que voltou a usar em 2019.

Foto de: Giorgio Piola

Refrigeração
Refrigeração
12/15
A fim de manter as coisas frescas no calor e na altitude do GP do México, a equipe chegou com uma nova solução de refrigeração, abrindo a carroceria em volta da suspensão traseira. Observe também o elemento Asa "T", uma novidade da Red Bull, devido à sua capacidade de obter o máximo de força descendente.

Foto de: Giorgio Piola

Barbatanas
Barbatanas
13/15
Nos últimos estágios da temporada, a Red Bull fez uma alteração na saída do duto 'S', trocando a saída de largura total para esta versão muito mais estreita, provavelmente causando menos interrupções nas barbatanas e melhorando sua potência geral.

Foto de: Giorgio Piola

Detalhe da asa dianteira
Detalhe da asa dianteira
14/15
Este é o design da asa dianteira exclusivo da Red Bull ao longo de 2019, com apenas alguns pequenos ajustes no tamanho e forma da aba e da placa final.

Foto de: Giorgio Piola

Detalhe da asa dianteira
Detalhe da asa dianteira
15/15
A Red Bull usou as sessões de treinos livres nos últimos GPs para testar um novo conceito de asa dianteira em 2020. Não é muito diferente do que foi usado ao longo de 2019, mas nos dá uma ideia da direção que a equipe pode estar seguindo. As principais mudanças chegando ao formato do corpo principal, já que o novo design expõe a parte de baixo e as estrias ao fluxo de ar mais do que antes.

Foto de: Giorgio Piola

Siga o Motorsport.com Brasil no TwitterFacebookInstagram e Youtube.

compartilhar
comentários
Kubica: Temporada 2019 da F1 valeu a pena por "encerrar capítulo"
Artigo anterior

Kubica: Temporada 2019 da F1 valeu a pena por "encerrar capítulo"

Próximo artigo

Honda: Atingir metas foi crucial para ganhar confiança da Red Bull

Honda: Atingir metas foi crucial para ganhar confiança da Red Bull
Carregar comentários